sexta-feira, 14 de julho de 2017

Palco Giratório invade as ruas de Porto Velho, próximo espetáculo será na Avenida Presidente Dutra (Sesc Centro)

A atração deste sábado do Palco Giratório sairá dos palcos de teatro e invadirá as ruas de Porto Velho. O espetáculo ‘Ruina de Anjos’ do Grupo ‘A Outra Companhia de Teatro’ irá se apresentar às 19h na Avenida Presidente Dutra 2765 (Sesc Centro), centro da cidade. Com classificação etária indicada para 16 anos, a apresentação será aberta ao público. 

Num misto de teatro de rua, intervenção urbana e performance, o espetáculo tem como mote a reabertura de um cinema de bairro e a esperança de renovação que ela traz para aquele lugar, que no passado viu um apogeu e hoje vivencia um abandono. Tal qual a vida dos personagens condutores da narrativa itinerante, que perderam a luz que um dia tiveram: uma travesti, um vendedor de café, um pastor traficante, um burguês homofóbico, uma moradora de rua catadora de lixo e uma artista de rua. O espetáculo que se dá na dinâmica do trânsito e da noite do centro da cidade grande, conduz o público a enxergar situações que atravessam discussões sobre violência, marginalidade, tráfico de drogas, invisibilidade social, comercialização da fé e gênero.

Surgido em 2004, em Salvador (BA), o grupo desenvolve ações em diversas áreas do setor criativo, tendo encenado 13 espetáculos. Formado por artistas de diversas formações e origens, valoriza suas referências culturais em seus trabalhos artísticos, afirmando discursos que refletem o interior e a capital, o centro e a periferia, a Bahia e o Nordeste, sem estereótipos, seja ao adaptar uma obra ou criar um novo texto dramático, atentando às emergências temáticas da contemporaneidade.

Em programação especial, Palco Giratório leva espetáculo à praça no bairro Mariana

Em programação especial, Palco Giratório leva ao Bairro Mariana o grupo de teatro Evolução, com o espetáculo ‘Julieta de Bela Flor’. A apresentação iniciará na tarde deste sábado (15) às 17h na praça do bairro.

A história se passa em uma pequena cidade denominada Bela Flor, onde habitam duas irmãs em busca de um grande amor. Com pensamentos e comportamentos extremamente diferentes, as irmãs Lavousiê, buscam cada uma a seu modo, um caminho para a felicidade. A peça ressalta a diferença entre o SER e o TER. A ambição, inveja e traição são temas abordados no texto. Músicas e danças típicas do folclore amazônico permeiam a trama.

A peça possui texto, direção, figurino, cenário e maquiagem produzidos por Eules Lycaon. O elenco é formado por: Dionatan Menezes, Carina Taina, Danny Moschini e Eules Lycaon.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Palco Giratório traz ‘Ledores no Breu’ na próxima sexta-feira (14)


O próximo espetáculo o a ser apresentado na sexta-feira (14) no Palco Giratório é o ‘Ledores no Breu, da companhia do tijolo de São Paulo. A peça não é indicada para menores de 14 anos. Com 70 minutos de duração, o drama iniciará às 20h no teatro 1 do Sesc. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes do espetáculo mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível.

Inspirado no pensamento e na prática do educador Paulo Freire e nas obras do poeta Zé da Luz e do ficcionista Guimarães Rosa, o espetáculo trata das relações entre o homem da leitura, das letras e do mundo ao seu redor. Ledores no breu traz histórias que acompanham tantos leitores na escuridão e analfabetos em pleno século XXI, seres que percorrem distâncias para elucidar suas dúvidas, seus erros e seus crimes. Um homem que por não poder ler as letras comete um crime contra seu amor e contra si mesmo; outro homem que desperta para as artimanhas e dubiedades da palavra ou alguém que reinventa o afeto com base nas letras que formam um nome. Personagens construídos a partir de suas relações com as letras e as palavras têm suas vidas profundamente transformadas.

A Cia. do Tijolo foi criada em 2008 pelo ator Dinho Lima Flor, que desejava mergulha na vida e obra do poeta Patativa do Assaré. Partindo daí, chegaram outros artistas. Do encontro surgiram os primeiros impulsos da companhia, o show Cante lá que eu canto cá e o espetáculo Concerto de Ispinho e Fulô. Depois vieram outros encontros com outros pensadores e artistas. Em seguida veio o musical Cantata para um bastidor de utopias, inspirado no livro Mariana Pineda, de Federico García Lorca, e em 2016 o espetáculo “O avesso do claustro”, inspirado na vida de D. Helder Câmara e Paulo Freire, que serviu de norte para a criação de Ledores no breu. São oito anos de existência buscando caminhos nos quais política, poesia e música sejam novamente capazes de construir experiências alternativas ao discurso dominante.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Segundo dia de oficinas do Palco Giratório traz o tema ‘corpo abismo – práticas de presença’


Na última terça-feira (11) iniciaram as oficinas, a primeira foi ministrada pela companhia Fuzuê. Nesta quinta-feira (13), a segunda oficina do Palco Giratório será sobre performance, denominada ‘corpo abismo – práticas de presença’, ministrada pelo artista Maikon K, na sala de dança do Sesc Esplanada, com horários de 08h às 11h e 13h às 16h.

As inscrições são gratuitas e limitadas para 20 participantes, podendo ser efetuadas através do SAC do Sesc no número 3229-6006.

Nesta quinta-feira (13) Palco Giratório traz performance ‘Das Dores’


Encerrando as performances do Palco Giratório, a artista rondoniense Taiane Sales traz a apresentação ‘Das dores’, com classificação indicativa para 16 anos. A performance terá início às 20h, nesta quinta-feira (13), no teatro 1 do Sesc Esplanada. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes do espetáculo mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível.

Os objetos cênicos e o público são alguns dos elementos primordiais para o acontecimento de ‘Das dores’. O trabalho consiste na presença de um corpo feminino performativo, com o intuito de proporcionar no público sensações, emoções e reflexões acerca das diversas violências pelas quais passam as mulheres. As imagens, formas, falas, músicas e gestos compõem a dramaturgia do espetáculo. Iniciado em sala de aula chega, nesta ocasião, como trabalho de conclusão de curso, do curso de licenciatura em teatro da Unir.

Em performance ‘Pele da Mulher’ busca expor as dificuldades enfrentadas pelas mulheres

Seguindo na sequência de apresentações das performances do Palco Giratório 2017, a artista Jaque Luchesi de Rondônia, apresentará nesta quarta-feira (12), a ‘Pele da Mulher’ às 19h30 na área de convivência do Sesc Esplanada, com classificação etária para 14 anos.

Pela pele da mulher é uma atuação que expõe as dificuldades enfrentadas pelas mulheres diariamente e enaltece a resistência perante os paradigmas impostos ao gênero feminino. Utilizando-se da linguagem performática como meio de alerta, no intuito de conscientizar sobre a importância do enfrentamento perante o sistema patriarcal, difundido por atitudes e argumentos machistas.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Grupo ‘Beradera Companhia de Teatro’ apresenta ‘Lete’ no Palco Giratório desta quarta-feira (12)

Nesta quarta-feira (12), o espetáculo a ser apresentado será do grupo rondoniense ‘Beradera Companhia de Teatro’, que trará ao público uma reflexão, retratando a atualidade de Porto Velho e de seus habitantes. A apresentação do gênero drama, tem um total de 60 minutos e iniciará às 20h no Teatro 1 do Sesc. A classificação indicativa é 14 anos, os ingressos podem ser retirados uma hora antes do espetáculo mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível

Lete, na mitologia grega, é o rio do esquecimento. É ele quem apaga nos homens as suas vidas passadas. Esta peça, que estreou em maio de 2013 - antes da cheia histórica do rio Madeira, que ultrapassou em dois metros a última marca registrada e afogou comunidades ribeirinhas inteiras – reflete, em um ambiente ficcional, sobre os diversos ciclos migratórios que moldaram a cidade de Porto Velho, culminando com o ciclo das usinas hidrelétricas. A peça lança luz sobre as vozes não ouvidas nestes processos econômicos e evidencia a memória que se esvai nas águas velozes e violentas do rio. Quatro atores-narradores se revezam em mais de vinte personagens em uma trama construída sobre cem anos de história concentradas em uma.

A Beradera Companhia de Teatro surgiu em 2013 por ocasião da peça “Lete”, contemplada pelo Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro 2012. Em 2015, a peça circulou por dez capitais através do projeto “Amazônia das Artes”, do Sesc Nacional.  A peça seguinte foi “Saga Beradera”, contemplada pelo Prêmio

Artista Maikon K inicia circuito de performances no Palco Giratório

Para início das performances do Festival, se apresentará nesta quarta-feira (12), o artista curitibano Maikon K, em uma dança-instalação representando ‘DNA de Dan’. Em versão curta, a performance possui 1h de duração, já em versão longa são cerca de 4h de intensa apresentação. A performance iniciará às 17h na Universidade Federal de Rondônia (UNIR), com classificação etária indicada para 16 anos. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes do espetáculo mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível.

Maikon K trabalha nas fronteiras entre performance e dança, teatro e ritual. O foco de sua arte é o corpo como instaurador de realidades e os limites entre humano e não-humano. Há treze anos pesquisa a alteração da consciência através de práticas corporais e ritos. Entre suas obras estão “Guilhotina – musical xamânico-terrorista em uma sala de aula” (2008), “Corpo Ancestral” (2013) e “Terrário – dança privé num portal interdimensional” (2015). Em 2015, a performance “DNA de DAN” integrou a exposição “Terra Comunal: Marina Abramovic + MAI”.

DNA de DAN é uma dança-instalação de Maikon K. Num primeiro momento, o performer mantém-se imóvel enquanto uma substância seca sobre seu corpo. Após essa fase da experiência, ele se moverá. A ação acontece dentro de um ambiente inflável criado pelo artista Fernando Rosenbaum – o público poderá entrar nesse espaço e lá permanecer. Dan é a serpente ancestral africana, que dá origem a todas as formas. A partir desse arquétipo, Maikon K cria seu rito de passagem pelo corpo. A construção de outra pele, o ambiente artificial e a relação com o público são dispositivos para esta performance, na qual o corpo do artista passa por sucessivas transformações.

Palco Giratório traz Grupo Experiência Subterrânea no quarto dia de apresentações

O Festival Palco Giratório iniciou apresentações no último sábado (8), na praça Aluísio Ferreira, em Porto Velho. Na próxima terça-feira (11), o grupo Experiência Subterrânea trará o espetáculo Women’s, com duração de 50 minutos. A apresentação iniciará às 20h no Teatro 1 do Sesc, com classificação etária para 16 anos, os ingressos podem ser retirados uma hora antes do espetáculo mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível.
A história de Women’s fala sobre uma faxineira que trabalha em um necrotério e dialoga com seus fantasmas pessoais enquanto realiza suas tarefas cotidianas. Exaltada por vozes que escuta, começa a conversar sobre um suposto crime e seus vínculos familiares com um cadáver que espera autópsia, até que manipula este corpo dando vida aos diferentes personagens de sua vida recente. Adair, a faxineira, constrói uma relação de violência com o corpo que por momentos representa sua irmã. Women's visita o tema da morte e dos afetos a partir da exploração do risco físico que é experimentado na cena.

Fundado, em 1995, o Grupo Experiência Subterrânea, tem desenvolvido um rigoroso trabalho centrado nos limites do ator, essencialmente o risco físico na cena, o domínio emocional através de um treinamento baseado na atuação por estados emocionais e na experimentação com o espaço cênico, particularmente, com a cidade como Lugar. Em seus 21 anos de existência o grupo ganhou diversos prêmios nacionais, tem apresentado seus espetáculos em diferentes países da América Latina e esteve em contato com vários artistas para fomentar a formação de seus atores. Além de Women’s, o grupo possui no seu repertório os espetáculos Guardachuva, Mierda Bonita e Agatha.

Artista local traz espetáculo de formas animadas ao Festival Palco Giratório

Em 2017, o Festival Palco Giratório continuará com apresentações de artistas locais, visando enaltecer a cultura Porto-velhense, com isso, umas das artistas convidadas para esta edição trará o teatro de formas animadas lambe-lambe.
O espetáculo ‘A Leitura é uma Viagem’ iniciará às 19h na área de convivência do Sesc Esplanada e possui indicação livre para todos os públicos. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes no local da apresentação, mediante a entrega de 1 kg de alimento não perecível.
O espetáculo tem duração de dois minutos e quinze segundos, e conta a história de um casal que se conhece, namora, casa na igreja, viaja em lua de mel para Paris, frequenta festas e vive o amor intensamente, até que a morte os separa. A apresentação promete levar o espectador a uma viagem junto com os personagens.
O teatro de modalidade Lambe-lambe, tem direção de Luciano Oliveira e se inseri no gênero teatral ‘formas animadas’, a atuação fica por conta da atriz bonequeira Vavá de Castro.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Oficinas do Festival Palco Giratório são iniciadas no Sesc


Uma das atividades mais esperadas do Palco Giratório são as oficinas realizadas no período de duração do projeto. Na terça-feira (11) iniciam as oficinas, a primeira será ministrada pela companhia Fuzuê, do Ceará, na quadra coberta do Sesc Esplanada, com horários de 08h às 11h e 13h às 16h.

As inscrições são gratuitas e limitadas para 20 participantes, podendo ser efetuadas através do SAC do Sesc no número 3229-6006, o tema da oficina será: corpo, imagem e sobrepeso. 

Postagens populares (5 mais recentes)